quarta-feira, 19 de outubro de 2011

93 - Dr. Luiz Flávio Gomes, um dos homens mais respeitados na área jurídica de nosso pais, fala de Oscar Maroni e Bahamas Club

Carreira jurídica
Luiz Flávio Gomes foi promotor de justiça em São Paulo de 1980 a 1983juiz de direito de 1983 a 1998 e advogado de 1999 a 2001.Individual expert observer do X Congresso da ONU, realizado em Viena de 10 a 17 de abril de 2000. Membro e consultor da delegação brasileira no décimo período de sessões da Comissão de Prevenção do Crime e Justiça Penal da ONU, realizado em Viena de 8 a 12 de maio de 2001. É secretário geral do Instituto Panamericano de Política Criminal (IPAN). É consultor jurídico e parecerista. Vários órgãos de imprensa ao mencionar alguns temas polêmicos na área criminal, constantemente fazem referências ao seu posicionamento jurídico do tema em questão

Senhores amigos amigas e leitores estou revoltado, angustiado, chateado. Cheguei a entrar até em depressão pelo ato covarde, pela perseguição. não é justo usarem de cargos públicos para me perseguirem e humilharem afetar a minha dignidade e de meus familiares  de minhas empresas. vocês não sabem e espero que não cheguem a sentir nunca este desprazer que estou carregando dentro de mim com esta injustiça. Um conhecido meu me ligou e disse se eu  havia visto este vídeo do Dr Luiz Flávio Gomes, imediatamente acessei. Terminei de assistir o vídeo com os olhos marejados de lagrimas, como eu já disse varias vezes este blog tem por objetivo fazer justiça tendo em vista a injustiça que estão fazendo comigo meus familiares meus funcionários e minhas empresas. finalizando "ROUPA SUJA DEVE SER LAVADA NA CALÇADA"  por isso exponho minhas emoções aqui.

 obs. Agradeço ao meu amigo  Laércio por ter me informado da estevênsia deste vídeo que tanto me sensibilizou principalmente nesta faze em que me encontro tão carente de justiça 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Ontem 19/10 inseri aqui o vídeo do Dr. Luiz Flavio Gomes, depoimento muito interessante sobre a minha pessoa e as minhas empresas sobre a minha condenação e a nova redação do artigo 229 (Casa de prostituição) que hoje já analisa os processos do artigo 229 com a nova redação, " ART. 229 quando houver a exploração do ato sexual" e a facilitação. Este sim é a nova interpretação criminal. Lei 12015 de 07/08/2009.
Dr. Luiz Flavio Gomes é considerado hoje um dos maiores especialista da área jurídica do Brasil, homem respeitado e que serve de balizamento para muitas afirmativas da área jurídica e que é consultado pela imprensa em casos polêmicos como minha condenação pela Dra. Juíza da 5º Vara que tinha como promotor da denúncia o Dr. Blatt.
Esta Juíza errou. Equivocou-se ou foi conduzida ao erro pelos depoimentos distorcidos, tendenciosos e que não condizem com a realidade. Esses fatos foram arquitetados pelo Doutor Blatt gerando essa situação delicada: Acabei sendo julgado não pela realidade, pois as provas principalmente depoimentos das testemunhas de acusação não foram consideradas como deveriam e a nova interpretação da lei foi simplesmente descartado ou dito que a nova lei seria somente mais abrangente. Esses fatos comprovam aqui como veremos a seguir.
Primeiro põe em questionamento que eu fui condenado por uma entrevista ( LINK PARA A REVISTA ) na qual fui capa e que foi uma estratégia de marketing para divulgar o meu segundo Hotel na Avenida dos Bandeirantes o Oscar´s Hotel, estabelecimento este que não tem nada a ver com o primeiro, Hotel e Balneário Bahamas Club.
De uma forma confusa e caótica misturaram o Bahamas, o Oscar´s Hotel, freqüentadores do Bahamas e garotas de programa, a minha Fazenda a revista Hustler a Penthouse, o Showfight transformando todo o meu faturamento como se só existisse o Bahamas. Uma verdadeira salada de informações.
A nova interpretação do artigo 229, que indiscutivelmente pune quando houver “a exploração do ato sexual”, com esta nova interpretação da lei não a mais o que se falar em casa de prostituição, delito que existiu até 2009, após isto o artigo 229 foi então substituído.
Esta juíza pegou a interpretação do Dr. Blatt e alegou integralmente sem dar a menor consideração em respeito às jurisprudências que já estão ocorrendo do Oiapoque ao Chuí, quase todas em segundas instâncias jurídicas do Brasil, ou seja, já estão absolvendo pela lei 12.015 - nova redação do artigo 229, desde 07/08/2009.
Outro item gravíssimo foi o da Juíza não considerar os depoimentos das testemunhas em juízo (fiz questão de fazer uma planilha e inserir no Blog se vocês acessarem este (LINK PARA AS TESTEMUNHAS DE ACUSAÇÃO) poderão observar as tabelas dos depoimentos das testemunhas, tanto na delegacia da seccional sul quanto em juízo aonde todas as testemunhas alegam não terem nem um vínculo com o Bahamas Club, nem financeiro e nem mesmo de comprimento de horário).
O que me fez introduzir hoje esse novo texto foi que um elemento que tudo indica ser o Senhor Blatt ou alguém muito próximo a ele, viu este texto do Dr. Luis Flavio e fez o primeiro comentário no Blog que vocês podem acessar e verem o que falo.
O outro fato, repito e insisto, é um absurdo, uma demonstração de perseguição que vem ocorrendo há anos contra a minha pessoa e as minhas empresas pelo Doutor Blatt, ficando agora extremamente evidente quando este depõe no jornal Nacional da rede Globo, acessem, por favor: ( LINK PARA TESTEMUNHAS DE ACUSAÇÃO ) ( LINK PARA O VIDEO DO JORNAL DA GLOBO ) , onde este homem de uma forma desonesta, ilegal e tendenciosa contrariando os bons princípios do Ministério Público, que tanto tem feito pelo nosso estado e o qual tenho o maior respeito.
Na condição de homem brasileiro e não de rato, não posso me calar,  é meu direito como cidadão questionar a injustiça que estão fazendo comigo.
Agora ficou claro e patente no final do processo a perseguição que se iniciou com a queda do avião da TAM, a candidatura do Kassab, a lacração do Oscar´s Hotel, do Bahamas Club e minhas prisões.
Curiosamente grandes coincidências que vêm ocorrendo e eu particularmente não acredito em coincidências, algo de muito estranho e ilegal vem ocorrendo com as minhas empresas e a minha pessoa.
Gostaria até que o Dr. Blatt me processasse, como já estou fazendo contra ele, pois ele me processando, eu mostrarei documentalmente a perseguição a qual estou passando.

Para melhor esclarecer assim resumo:
1)      Acessem o vídeo do Dr. Luiz Flavio Gomes aqui no inicio ou no youtube.
2)      Acesse aqui o ( LINK PARA TESTEMUNHAS DE ACUSAÇÃO ) aonde vocês poderão ver resumidamente o depoimento das testemunhas, aonde demonstro de uma forma documental de que as mulheres freqüentadoras do Bahamas assim como os homens, praticavam sim, sexo profissional e não profissional. Iam ao estabelecimento para fazer sauna, dançar, beber, se divertir, se exibirem e dar vazão a sexualidade, profissional ou não. Não sendo isso ilegal em nosso País, desde que sejam maiores de idade e que fazem por livre e espontânea vontade.
3)      Acessem “( LINK PARA O VIDEO DO JORNAL DA GLOBO )”, vocês irão ver as afirmativas mentirosas, maldosas, caluniosas e irresponsável do Dr. Blatt afirmando propositalmente e de uma forma confusa para dúbia interpretação que as mulheres pagavam R$ 300,00 reais ou recebiam esse valor do Bahamas, e que eram obrigadas a freqüentar o Bahamas com horários estipulado em 08 horas ( LINK PARA TESTEMUNHAS DE ACUSAÇÃO ) e que com isto eu estava faturando mais de um milhão por mês. Se faturava mais de um milhão por mês é com a somatória das minhas cinco empresas, Bahamas Club, Fazenda, Revistas Penthouse e Hustler, Showfight eventos de lutas e com o energético Showfight Power, e com a inauguração do Hotel este valor poderia dobrar, foi isto que declarei na revista Isto é Dinheiro.
4)      Cabe aqui uma reflexão, se essas mulheres eram tão exploradas, obrigadas a freqüentar com horários estipulados e contrariando as suas vontades, porque voltavam no dia seguinte? Porque as mulheres mais lindas do Brasil freqüentavam o Bahamas Club, se este ambiente era tão nefasto e agressivo? Porque o Bahamas Club durante 18 anos foi absolvido quatro vezes em primeira instância e em duas vezes em segunda instância? Em todos esses processos foi tudo meticulosamente analisado, conferido por peritos, técnicos e policiais e após analisados por Juízes e Desembargadores, resultando sempre em absolvições, no inciso III “o fato não caracteriza crime”.
5)      Acessem este outro ( LINK PARA REVISTA ISTOÉ ) e vocês poderão ver a reportagem da revista Isto é Dinheiro da qual sou capa, e friso, faturava mais de um milhão por mês com todas as minhas empresas, e realmente uma cerveja no Bahamas custava R$ 15,00 e os whiskys poderiam chegar a R$ 200,00, pois ali é tudo extremamente luxuoso, pisos de mármore e construção luxuosa, cobrávamos caro sim, é um direito meu. Vivo em uma democracia, Mercedes e BMW são mais caros que fusca e Fiat, as mulheres que ali freqüentavam, sim concordo, vestidas de biquínis ou lingeries, se banhando ou fazendo sauna no balneário, caminhando pelo estabelecimento com seus altos saltos e roupas luxuosas, davam um grande glamour ao local e prazeres ao visual dos que ali freqüentavam, como em qualquer outra casa noturna de São Paulo, do Brasil ou do Mundo, freqüentada por mulheres profissionais, não profissionais, casais liberais, homens e mulheres, ou a Juíza que me condenou afirmaria que nos outros estabelecimentos tudo é barato? As mulheres são feias horrorosas? Vestem-se como trapos e andam de sandálias havaianas, sem saltos? O luxo, a sensualidade não é e nunca foi ilegal, não posso ser analisado por valores morais pessoais.
Foram afirmativas tão absurdas no processo, mas o pior mesmo foi citar o livro da Bruna Surfistinha e o filme “Uma linda mulher”, me parece que ela analisou a sexualidade da mulher tendo como referencia os seus valores morais e pessoais. Isto não é valido, a moral de uma atriz é diferente de uma freira. Uma freira tem uma sexualidade diferente de uma mulher que faz shows de sexo explícitos no palco. Algumas mulheres alcançam o orgasmo com vibradores e outras gostam de sexo oral, outras gostam de pênis pequenos e outras de grandes e grossos, outras dão por dinheiro e outras por atração física, outras não sentem prazer nenhum e outras só por amor no âmbito familiar e quando casam, é tudo tão subjetivo, tudo tão individual e pessoal.
Sexo é como impressão digital cada um tem a sua forma de sonhar, atuar e ser feliz, só não vale a repressão, a hipocrisia e o desrespeito ao livre arbítrio de cada um decidir o que quer ser.
Hoje temos até relações estáveis entre homossexuais que podem ate adotar filhos o que eu acho muito válido, isto é respeito, isto é moral, isto é dignidade, isto é respeitar quem é diferente de você. Família é um grupo de pessoas que deveria manter se por laços afetivos e não por regras enormes e preconceituosas. Sessenta e cinco por centos das crianças são agredidas dentro dos lares e mais de setenta por cento dos abusos sexuais de crianças e mulheres acontecem nos lares pelos próprios familiares
6)      Se tiverem interesse e quiser saber mais de minha pessoa, de como penso e sobre os temas acima citados naveguem nos meus 93 textos que estão inseridos neste blog.

Quero que fique bem claro, limpo e cristalino, tenho maior respeito pelo sistema judiciário de São Paulo e brasileiro, pelo Ministério Público Estadual e Federal, respeito às leis do meu País e também quero ser respeitado pelo nosso sistema judiciário.
Estou aqui exercendo a minha cidadania que é o meu direito baseado em minha constituição, se o Senhor José Carlos Blatt se sentir afetado, quero que me processe, mas não me persiga e isso é extensivo ao nosso Prefeito Senhor Gilberto Kassab, se o Prefeito tem alguma coisa contra minha pessoa que me processe, mas não é justo e nem honesto e muito menos legal usar da máquina administrativa da Prefeitura da nossa cidade de São Paulo para perseguir as minhas empresas.
Ouvi várias vezes na Prefeitura dizerem: - “Não são as suas empresas que estão erradas Maroni, é a sua pessoa. Você fala demais”.
Como que exercer os seus direitos impor a sua cidadania é falar demais? O cidadão deve se calar, ser submisso e abaixar a cabeça.
Cidadania, repito, é você brigar pelos seus direitos antes de qualquer coisa. Já foi o tempo da ditadura, a diferença entre o homem e o rato é que quando se bate o pé no chão os ratos correm para o bueiro e o homem realmente homem exige os seus direitos, briga pelo que acredita.
Não considero respeitoso e honesto usar da máquina administrativa e da máquina judiciária para perseguir a minha pessoa e as minhas empresas.
Se eu mantive o Bahamas aberto é porque Juízes e Desembargadores decidiram que a minha atividade é licita. Sou hoje jurisprudência na revista do tribunal do Júri na forma de como administro o Bahamas ( LINK PARA REVISTA DE JURISPRUDENCIAS )
Pergunto ao senhor Ronaldo Camargo Coordenador das Subprefeituras de São Paulo, ao Senhor Jose Carlos Blatt do Ministério Público de São Paulo, ao Senhor Edilson Mougenot Bonfim, Corregedor do Município de São Paulo, que influenciou na decisão do Prefeito de São Paulo Senhor Gilberto Kassab de negar o meu auto de conclusão, pasmem, baseado em valores morais e sexuais, questiono a esses funcionários públicos que são mantidos com os impostos do cidadão inclusive os meus o porquê desta perseguição? Somente no Bahamas e no Oscar´s Hotel? O porquê esta nuvem de moralismo paira somente sobre minhas duas empresas? Senhores vocês já ouviram falar que Café Photo, Bamboa, Ilha da Fantasia, Café Gauguin, Scandalo, Mistério, inúmeras casas de swing e centenas de casa de massagem estão em pleno funcionamento? O que ira acontecer hoje na noite paulistana? As moças que freqüentam esses locais irão assistir cursos de política internacional, de culinária ou estão nesses estabelecimentos para arrumar casamento? Chega de ironia, chega de hipocrisia.
Pergunto novamente por que só o Bahamas? Se eu fui condenado a 11 anos e 9 meses em primeira instância e obviamente vou recorrer, como já aconteceu,  porque vocês fazem vistas grossas sobre estes outros estabelecimentos? Estaria havendo prevaricação, amizade, troca de favores? Muitos deles não tem alvará, alguns deles são atividades iguais ao do Bahamas, segundo a interpretação que me condenou a 11 anos e 9 meses de prisão, não é ter ou não ter quartos, ter ou não ter alvará, é o fato de mulheres profissionais da sexualidade freqüentarem o lugar com atitudes libidinosas, gerando erradamente, friso e repito, gerando erradamente o ato ilícito de casa de prostituição ou facilitação, artigo que foi substituído por “quando houver exploração do ato sexual”.
Senhor Manoel Antonio da Silva Araújo subprefeito da regional da Vila Mariana, bairro no qual esta inserido o Bahamas Club e Oscar Hotel, sou uma verdadeira ilha, ao meu redor existem mais de 18 casas de massagem, umas 10 casas de swing e a menos de 100 metros do Bahamas um estabelecimento menor que o Bahamas, mas que tem a mesma conotação de sexualidade em pleno funcionamento o Zeus Bar com o Hotel ao lado. Vocês deram o alvará para lá fazerem convenções, dormitório familiar ou grande e deliciosas putarias, com shows de stripper, sexo explicito e algo mais.
Não estou dizendo que este estabelecimento é irregular, ele tem o direito. Mas porque só eu estou fechado, só eu estou lacrado.
O problema é porque eu falo demais ou vocês é que não seguem as leis ou distorcem os fatos conforme lhes interessam, usando da máquina da Prefeitura como interesses pessoais? O que ocorre nesta bagunça de valores morais?
Senhor Edilson Mougenot Bonfim o Senhor é um Corregedor e a sua função segundo a lei é fazer correições, ou seja, fiscalizar os funcionários públicos e como disse no meu processo manter a moral e os bons costumes. Pergunto ao Senhor Blatt do MP e ao Senhor Edilson Mougenot Bonfim porque só o Bahamas tem que manter a moral e os bons costumes.
Denuncio aqui para a Ouvidoria, não estaria aqui o elemento do MP e o Corregedor prevaricando?
Não estou aqui denunciando nenhum destes estabelecimentos comerciais, todos estes tem o direito legal de funcionar desde que não tenham drogas, menores de idade ou que explorem sexualmente as mulheres. Eles tem o direito de funcionar, a lei assim permite. Pergunto novamente o porquê só o Bahamas Club e o Oscar´s Hotel é perseguido? Esta ai na imprensa, setenta e cinco por cento dos Flats e Hotéis estão em condições irregulares e noventa por cento dos edifícios não residenciais estão irregulares sem alvarás e funcionando irregularmente na cidade de São Paulo. Porque desta perseguição Senhor Kassab?


Em breve encaminharei carta por escrito ao Ministério Público, a Coordenação das Subprefeituras, a regional da Vila Mariana, ao nosso digníssimo Prefeito, a Câmara dos Vereadores e a Imprensa questionando o porquê só eu? Algo esta errado, friso, sou um cidadão com grau universitário tenho plena consciência dos meus direitos, conheço as leis as respeito e quero ser respeitado pelos funcionários públicos da minha cidade e do meu estado, isto também e cidadania.
Defino cidadania como o cidadão que exige os seus direitos.
No artigo 5º da nossa constituição:

“Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade...”

 “ XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer; “

Oscar Maroni, RG 4.688.247, brasileiro, nascido na cidade de Jundiaí no estado de São Paulo, morando na cidade de São Paulo há 58 anos e tendo aqui vivido com os meus familiares.
Sou parte integrante desta cidade assim como minhas empresas. Pago meus impostos e que fique aqui registrado por essas atitudes arbitrarias que tem exercido contra minha pessoa e as minhas empresas, o Município deixou de arrecadar com os meus estabelecimentos fechados nos últimos quatro anos, mais de 9 milhões de reais aos cofres públicos, Isto não seria ato de corrupção? não gerou prejuízo aos cofres públicos e ao contribuinte diretamente?
Quem ira arcar com esse ônus da cidade? Quem ira pagar esse prejuízo Senhor Ronaldo Camargo?
O Senhor Claudio Lembo Coordenador da Secretaria dos Negócios Jurídicos junto com o Senhor Celso Coccaro Procurador Geral do Município de cargo concursado, decidiram documentalmente em 2010 que a atividade do Bahamas Club é licita como um Hotel e Balneário. Conferiram nas plantas aprovadas que o estabelecimento preenchia todas as exigências e que o processo deveria voltar para a regional da Vila Mariana para a emissão do Auto de Licença de funcionamento por já ter preenchido as exigências legais.
O Senhor Jose Carlos Blatt encaminhou oficio ao Doutor Lembo e este encaminhou pedido de esclarecimento a Procuradoria Geral do Município cujo responsável é o Doutor Celso Coccaro, e este responde ao Dr. Blatt  que a discussão, na época na esfera criminal, não é de competência da Prefeitura e que o estabelecimento Bahamas preenchia as exigências legais e deveria receber o Auto de Licença de Funcionamento. Dr. Blat inconformado e não aceitando ser contrariado e percebendo que o Bahamas poderia vir a ser aberto, e com isto o Senhor Blatt iria ser desmoralizado perante a opinião publica, pois já havia dito na imprensa na queda do avião da TAM que a minha atividade era ilegal. Doutor Blatt encaminhou oficio ao corregedor Edilson Mougenot Bonfim, seu amigo de carreira do Ministério Público e que tem cargo de confiança do Senhor Prefeito Kassab. Orquestraram um documento com uma série de irregularidades, entre as quais, a mais gritante é que só colocaram no documento ao Senhor Kassab as denuncias do Ministério Público, propositalmente e ilegalmente não citaram as decisões proferidas por Desembargadores e Juízes a favor de minhas empresas, absolvições em primeira e segunda instância demonstrando que a minha atividade e como eu administro o Bahamas não são ilegais.
Chegando ao ponto de que estas decisões, uma delas acabou virando jurisprudência na revista do tribunal do júri RTSP 817/547 (Revista de jurisprudências do Tribunal do Júri do Estado de São Paulo), pasmem, estas jurisprudência hoje são usadas em outros Municípios como exemplo e balizamento de outros Desembargadores que estão absolvendo processos de artigo 229 e 228. ( LINK PARA REVISTA DE JURISPRUDENCIAS )
Citando aqui também que o artigo 229, quer o Doutor Blatt concorde ou não, a opinião dele é irrelevante diante de decisões que estão sendo tomadas pela nova redação do artigo 229 por Desembargadores e especialistas de renome na área jurídica, citando inclusive o Doutor Luiz Flavio Gomes e a Dra Luiza Nagib Eluf ( LINK PARA O ARTIGO ) – Procuradora de Justiça do Estado de São Paulo e autora do livro “ A Paixão no Banco dos Réus” entre outros livros, foi secretária nacional da cidadania do Ministério da Justiça no governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso. A nova interpretação do artigo 229 diz: “Quando houver exploração do ato sexual”.
Senhor Blatt para o seu conhecimento jurídico, nenhuma dessas pessoas respeitadas no mundo jurídico falam em quartos, apartamentos, hotéis, atos libidinosos, conjunções carnais ou sexo profissional, o foco hoje com a nova interpretação do artigo 229, quer o senhor queira ou não Doutor Jose Carlos Blatt ou Doutor Edilson Mougenot Bonfim, ilegal é quando houver a exploração do ato sexual.
Não é justo, não é honesto para o sistema jurídico e para a dignidade da aplicação das leis do Brasil usar de valores morais, sexuais e pessoais para com interesses políticos condenarem esse cidadão.
Por favor, leitores desse blog - acessem o texto de numero 89 “A Prefeitura contra Oscar Maroni”, ou acessem o ( LINK PARA MANDADO DE SEGURANÇA )  ( LINK PARA A CARTA DO CORREGEDOR MONGENOT BONFIN ) observem a perseguição que esses dois elementos praticam contra minha pessoa, e que conduziram ou este quis ser conduzido “Senhor Prefeito Gilberto Kassab” a negativa do Auto de Conclusão do Bahamas Club, me obrigando a entrar com o mandado de segurança.

Obs. Desculpem-me se o texto aqui redigido não é a mais perfeita redação, pois como vocês sabem não sou escritor, tento aqui com esta alquimia de letras demonstrar a minha indignação, a minha revolta e mostrar a injustiça que estão fazendo com este cidadão e empresário que possui dois estabelecimentos comerciais na cidade de São Paulo igual a milhares de outros existentes em São Paulo, no Brasil e no Mundo.

Caso vocês tenham interesse em conferir os documentos aqui citados e outro que possuo em meus arquivos referentes a esses temas terei imenso prazer de mostrá-los em meus escritórios, localizado na Avenida das Carinás, 612 – Moema – São Paulo, que se localiza no quarteirão atrás do Bahamas Club.

118 comentários:

Anônimo disse...

Tanta 'exploração' que as meretrizes faziam fila para trabalhar lá... Se fosse 'exploração' mesmo, como o MP tenta caracterizar, as prostitutas cairiam fora, elas fugiriam do estabelecimento... De coitadinhas e exploras, elas não tinham nada.

Anônimo disse...

O raciocínio é simples: quem iria ao Bahamas se não fossem as putas? Que homem pagaria R$ 30 por uma cerveja, R$ 150 por uma dose de whiski, se não fosse a possibilidade de acabar a visita com uma garota na cama? Os shows do BHM eram super bregas e as instalações de bar apenas corretas e confortáveis. O que valia mesmo era o recheio, de langerie, andando de lá pra cá. Esse sim era o melhor movimento feminista: o dos quadris.

Anônimo disse...

estava na hora da prostituição ser respeitada, reconhecia e legalizada...

Anônimo disse...

Coloca ai a foto no jaguar, vai na TV falar um monte, se achando o poderoso chefão.

Sou contra essa perseguição mas só chegou nesse ponto pq o Oscar falou demais.

Engraçado que antes nao tinha chorinho, depressão, coitadinho e nada né? A regra é clara: Cada um tem o que merece.

Alexandre disse...

Oscar, infelizmente pessoas de vanguarda, que só vão ter seu pensamento e sua filosofia reconhecidos depois de muitos anos, não são para este país. Vivemos em um país atrasado, moralista e hipócrita, pois aposto que dezenas de membros do MP que te perseguem passavam noites tórridas no Bahamas. Nada contra passar noites tórridas no Bahamas, pelo contrário, rs, mas o que é a vida desses homens da Justiça que vão no bacanal à noite e de manhã te processam, após dizer bom dia para sua corna e casta esposa? Para mim, é apenas miséria emocional.

Alexandre disse...

Aliás Oscar, já pensou em promover um abaixo-assinado ou mesmo uma campanha pública pela legalização da prostituição no Brasil?

Anônimo disse...

"Vanguarda", "pensamento", "filosofia"? Se há uma coisa antiga, arcaica, "retaguarda" e "consdervadora" é prostituição. É a mesma praticamente desde sempre. Sempre existiram putas pobres e ricas, estas últimas, as cortesãs, cuja existência se perde nas névoas do tempo. Também o suposto pensamento e filosofia relacionados à prostituição são os mesmos desde sempre: é o pensamento da mais-valia, embasado pela filosofia de exploração dos proxenetas, também estes personagens tão antigos quanto contemporâneos das primeiras prostitutas. Portanto, caro colega, o "atraso" brasileiro nessa área nada tem a ver com o atraso social e econômico; nosso atraso, no que diz respeito à prostituição, é que ainda hoje espertalhões, como o condenado, se interpõem entre a prostituta e seu cliente.

Anônimo disse...

O Marini ta ficando tao perturbado que nem seu proprio sobrenome escreve direito.
pra quem posava de jaguar, fazia barbinha na metade do rosto pra mostrar pra Luciana Gimenez... ta agora com discurso de coitadinho. vai pro inferno que eh seu lugar.

Oscar Maroni Filho disse...

Maroni responde:
O primeiro texto aqui citado parece que foi feito por um elemento do ministério publico, estou preparando um texto com fatos, fotos, dados estatísticos e depoimentos das testemunhas sobre elementos que existiram no processo e que possuem uma força jurídica muito grande nas decisões jurídicas, estou terminando infelizmente e irei acrescentar estes elementos no final do texto 93 que será publicado até amanha

Anônimo disse...

A prostituição é atemporal, prostituir-se não é nada anacrônico, fora de época, como se poderia sugerir. Não. É algo que atende ambas as partes, de um lado a prostituta, de outro a sua (dela) clientela. Quando se abre espaço para um terceiro lado, o intermediador, é porque esse, por alguma razão, está sendo útil àqueles dois primeiros lados (prostitutas e clientes). Aqueles que favorecem a prostituição, ou a intermedeiam, não podem (pelo menos não deveriam) ser considerados vilões/criminosos, uma vez que eles servem (de forma, e com intuito, é claro, comercial) a ambas as partes... Todos ali vivem suas vidas e exercem suas atividades de forma harmoniosa (de maneira geral) e sem lugar para um quarto lado, ou um quarto poder, que nada mais faz do que desestabilizar um sistema que tem se gerido muito bem ao longo dos tempos... O MP, através das vozes de seus cultos integrantes/agentes, desperdiça seu tempo, energia e conhecimento propondo ações, oferecendo denúncias, enfim, exercendo (em tese) sua função institucional (constitucional) de uma forma puramente legalista (visão somente textual, ou coisa assim) sem se atentar, ou levar em consideração, os anseios da sociedade de uma forma geral. Em palavras mais simples: o que os promotores têm a ver com as putas, nós clientes e os donos de casas noturnas? Na verdade nada. Todos esses precisam do MP tanto quanto o pólo norte/sul precisa de refrigerador... É fácil criar leis arcaicas e severas para evoca-las no momento, e contra quem, interessar; ‘aos amigos tudo; aos inimigos, a Lei’. ‘Cria-se dificuldade, para vender facilidade’, e assim o Estado vai perseguindo quem quiser, e parece que a bola da vez é o Maroni...

Anônimo disse...

Maroni parece nunca ter conseguido aprender a lição número 1 do proxeneta: boca fechada e olho no caixa. Mas o cara quer promover luta, fabricar energético, publicar revista pornográfica e ainda aparecer a toda hora na imprensa. Isso tudo na Dinamarca já teria que ser feito com cuidado, quanto mais ainda aqui.
Alguém sabe dizer quem são os donos dos cinco puteiros de luxo da cidade?

Anônimo disse...

A enrascada em que caiu o Maroni não é muito fácil de discutir. Que uma mulher tem o direito de se prostituir, de ter autonomia sobre seu corpo, ninguém discute. Mas e aí. É só isso? O que parece inadmissível para a lei é que alguém de alguma forma lucre com isso.
A dificuldade de julgamento daquele que, por hipótese, ocupe o lugar de intermediador da relação prostituta-cliente ou daquele que favoreça, digamos, materialmente essa relação (seria o caso do Maroni ao oferecer o ambiente e os serviços que envolvem o casal), é que um e outro se mostram como parte interessada sobre algo que deveria ser íntimo, autônomo e, portanto, não sujeito ao controle de terceiros. Quando a juíza alude ao controle, exercido pelo estabelecimento de Maroni, sobre o serviço prestado pela profissional, a relação que se estabelece de imediato é hierárquica, em que uma parte estabelece o modus operandi e a outra acata. Uma parte diz como se deve comportar, vestir-se, e, finalmente, agir (com rapidez para produzir mais), e a outra, de novo, acata, ou senão está fora. Em outras palavras: existem o rito imposto e o ritual; um código de conduta e o decoro da casa (não usar calça jeans; não falar alto; não usar celular; tratar bem o cliente; não criar situação constrangedora...).
O Maroni deveria esclarecer tudo isso.

Anônimo disse...

O que faz com que nunca o nosso amigo Maroni
dificilmente consiga ganho de causa, é,que houve
um gde deslize por parte dele de gravar e espiar
clientes com as profissionais nos quartos.
Esses clientes ,pessoas influentes,e que hoje com
certeza estão fazendo de tudo para que o Bahamas
continue fechado.
Pessoa ligada ao Ministério Público

Anônimo disse...

Oscar desta vez você se superou meu amigo. MUITO CONFUSO O TEXTO

Oscar Maroni Filho disse...

Marone responde sobre o comentário de que eu avia gravado clientes nas suítes.
Isto não é verdade, é uma pura mentira. Isso foi arquitetado para me comprometer junto a pessoas idôneas da área da justiça, e que obviamente se fosse “atenção estou dizendo no condiciona”l e obviamente se fosse não ficariam apresentando RG ou carteiras profissionais. isso tanto é verdade que a Vivian negou a moça que disse isso ao Blat e ele interpretou como queria esta negativa foi esclarecido pela Vivian na corregedoria de policia e os depoimentos desta moça são tão confusos e esdrúxulos que na sentença a própria juíza descartou estes depoimentos. Em breve farei um texto sobre isso com os devidos documentos anexados. E tem mais, quando esta moça depõe após um ano na corregedoria de policia não só negou que aconteciam as gravações como também afirmou ter usado droga para depor e que foi intimidada e buscada em sua casa obrigada a depor.

Oscar Maroni Filho disse...

Marone comenta cometário 21 de outubro de 2011 16:09.
Concordo com o comentário de que o texto está confuso. Organizar a confusão que fizeram com a minha vida neste processo é confuso esta confusão foi ate proposital para me incriminar. Inicialmente me prenderam por uma frase que eu não disse ao repórter Roberto Cabrine “que o Bahamas seria uma casa de prostituição de luxo depois todas as testemunhas de acusação acabaram tornando-se testemunhas de defesa. Dei uma entrevista para a revista Isto é Dinheiro a juíza diz que o fato de eu já ter sido absolvido em outros processos por seis vezes é irrelevante porque agora existe um fato novo que é a entrevista na revista. Condenam-me por eu ganhar muito dinheiro ou pelo fato do preço da bebida ser cara, ou pelas mulheres que La freqüenta são lindíssimas. No período da primeira faze do processo o promotor Blat faz uma serie de afirmativas na imprensa e depois não consegue provar nada intimida uma ex companheira minha. A Vivian moça que passou a drogar-se tendo em vista preção do MP da imprensa e de um ex namorado que a abastecia com drogas. Esta deu um depoimento forçado ao ministério público na sala do seu Blat e quem grava a entrevista como se a sala do Blat como se fosse um estúdio de wollywood? È o próprio Cabrine. Usam do depoimento desta moça onde eu disse a ela que ia vestir uma camiseta para um blog escrito “ FREE CABRINE” WWW NOTEU.COM.BR e ai dizem então que eu havia colocado pó no caro do Cabrine, esta moça a uns tempos a traz foi convidada a depor na corregedoria nega tudo que falou em juízo e no MP, esclarece também que foi obrigada a depor e quando o fez, fez sobre o efeito de droga. Isso é só uma parte da confusão que fizeram da minha vida pode parecer ate ridículo mais infeliz mente é assim que eu me sinto. È confuso, são os fatos tentei por uma ordem em tudo isso no blog

Anônimo disse...

Não pode ser que o Maroni esteja escrevendo pior cada vez mais. Erros de ortografia, de pontuação, de estruturação de parágrafos. Além disso, a perda de foco de uma passagem à outra.
Será que agora o Maroni Apócrifo se assenhoreou do nome completo de Maroni ou este endoidou de vez?

Anônimo disse...

Mas esse é o propósito. Maroni faz de seu blog uma chacrinhada total, e ele, portanto, 'não veio para explicar, veio para confundir'.
Vocês querem bacalhau?...

Anônimo disse...

vi tb num otro vidio esse cara q ta nesse vidio ai falando bem do barramas
ele defendeu o barramas parece q era uma aula q ele tava dango

Anônimo disse...

Maroni processa o Blat e ganha a ação idenizatória .... aí quem paga o pato? É o otário do contribuinte que cobrará a administração que por sua vez no dia de são nunca irá mover uma ação de regresso contra o Sr. Blat que a essas altura já vai está no seu bicentenário. É foda! meu véio! Ass.: contribuinte que não aguenta mais pagar pela incopetência de nossos administradores.

Anônimo disse...

Maroni contra o Município: Maroni wins!
Maroni contra o Estado: Maroni wins!
Maroni contra a União: Maroni wins!
Maroni contra a OEA: Maroni wins!
Maroni contra a OMC: Maroni wins!
Maroni contra seja lá quem for: Maroni wins!
Acho, amigo contribuinte, que nós estamos fudidos...

Anônimo disse...

O lacra tudo, ou legaliza tudo.

Do mesmo jeito que é rídiculo o Maroni dizendo que nao rolava putaria no Bahamas, é rídiculo o Photo, Bomboa, e outras casas IGUAIS abertas.

Hey Maroni, vamos promover um abaixo assino.
Você pode criar um em http://www.peticaopublica.com.br/

Estevão Melo disse...

Também não concordo com a condenação do Maroni. Não sou o Luiz Flávio Gomes, mas também emiti opinião no meu blog: http://estevaomelo.blogspot.com/2011/10/oscar-maroni-casa-bahamas-e-as.html

Quanto ao primeiro comentário, parece que o leitor deste blog se confundiu. A sentença NUNCA afirmou que Oscar Maroni cobrava R$ 300,00 das prostitutas por programa. O trecho colocado entre aspas é apenas um resumo do que o promotor escreveu na denúncia.

Outro aspecto interessante é o seguinte: a Constituição e o Código de Processo Penal vedam a condenação com base em depoimentos prestados no inquérito policial, porque eles são tendenciosos e a defesa não teve o direito a formular perguntas. Não há controle judicial do que ocorre dentro da delegacia, não se sabe o que ocorre dentro do gabinete da promotoria. Promotor e delegado apuram os fatos para acusar.
Apesar disso tudo, a juíza esqueceu os depoimentos prestados em juízo e optou por citar alguns (só os que interessavam) depoimentos suspeitos, prestados sem a participação da defesa.
Para que o processo se Maroni já estava previamente condenado?

Anônimo disse...

Então já são (somos) dois em defesa do Maroni. Entre as alegações da promotoria e as alegações da defensoria, inclino-me mais pro lado desta última.

Anônimo disse...

Caro Maroni, em tudo que o senhor escreve, tem apenas razao quando reclama do NÃO fechamento de outras casas, sabidamente PUTEIROS, como a sua (hoje fechada), interessante sua tentativa de fugir da responsabilidade por manter uma casa de prostituição, onde as pessoas e frequentadores iam exclusivamente para ver ou contratar as meninas que la se exibiam.
Ao meu ver o senhor explorava a prostituição apenas pelo simples fato de manter o local em funcionamento, sabidamente com o NITIDO fim de vender(ou facilitar transacoes) sexo, como sabemos acima de 300,00.

Perceba uma coisa, o senhor favorecia a prostituicao ao manter o LOCAL aberto cobrando os usuarios o acesso para, com num CIRCO ver ou comprar os objetos la expostos, se estavam la expostos e o senhor mantia e pagava e financiava o local para funcionar com o NITIDO CARATER sexual, obviamente o senhor se beneficiave e explorava a venda de sexo na sua casa, que existia EXATAMENTE PARA ISSO, A TRANSACAO E VENDA DO SEXO.

Não o condeno, nao tenho o objetivo de faze-lo, mas é impossivel fugir da responsabilidade por manter um local que favorecia a prostituicao, leia-se venda do sexo, sua casa beneficiava isso.

Lembrando que havia a transacao financeira para entrar ou consumir os prodtos la expostos, a casa nao tinha outro fim conhecido embora o
senhor queira caracteriza-la de forma diferente.

Nao da pra dizer que uma IGREJA (por mais putaria que possa ter, em outros sentido que nao sexuais) exista para beneficiamento ou facilitar a prostituicao, nao da pra dizer que o mercado central de Sp exista para beneficiar a prostituicao, mas da pra dizer que o BAHAMAS existia para facilitar a prostituicao, disso nao da pra fugir.

O senhor fazia cultos religiosos, ou vendia verduras e legumes? Obviamente que nao, os produtos la eram carnais, sexuais e tinham preço (diga-se de passagem de otima qualidade visual..) O promotor do caso, a juiza do caso, nao favoreciam a prostituicao ou mantiam uma casa em funcionamento com esse fim, quem fazia isso era o senhor...nao leve a mal o meu comentario.
Mas nao da pra imaginar o promotor do caso como dono do BAHAMAS, se ele fosse o senhor iria dizer o que?
Ja imaginou membros do MPSP mantendo uma casa nos moldes do BAHAMAS?
Pense numa coisa, seu dinheiro era ganho com um projeto grande e bem elaborado, direcionado para venda do sexo, com carater de lucro financeiro, seja ele direto ou indireto.
Repito, nao leve a mal meu comentario...

ab

marcos/sp/zn

Observador disse...

E eu, em minha modesta opinião, acho que as coisas vão mais além. Fora a questão de fato, do que ocorria ou não ocorria dentro do Bahamas, há a questão legal que deveria ser revista pelo legislador. Se a atividade de intermediador, por exemplo, deixasse de ser crime (e acho que é algo bem razoável), o Maroni não estaria nessa enrascada toda por nada... Sinceramente não vejo o Maroni como criminoso nem nada parecido; ele pode, sim, às vezes falar de mais (não aos meus ouvidos, pois seu discurso não me incomoda nem me espanta), mas nunca me pareceu ruim (talvez porque, até, eu não tenha tido oportunidade de conferir seu lado ruim ou perverso, caso realmente ele o possua); pareceu-me apenas um pouco exibicionista, o que pode ser até uma estratégia de marketing. Claro que sua personalidade e seu conteúdo não seria minha meta, seduz-me muito mais a sobriedade e o arcabouço intelectual de certo (ou certos) internauta(s) que nos visita(m) do que a figura espalhafatosa e folclórica (sem conotação pejorativa) do Maroni. Ele não é, digo, não me parece, pelo menos, nem de longe uma ameaça social, não me parece que ofereceria/oferece perigo ou nocividade àqueles que quero bem; Maroni não precisaria ser afastado do convívio social (por mau exemplo ou por provocar repúdio) de meus familiares, filhas, por exemplo. E olha que eu, quanto à questão de educação e zelo para com minhas filhas, sou daqueles bem tradicionais/machistas, portanto não há de se falar em ‘é porque ele não está nem aí com as filhas dele’. Enfim, eu sempre aposto em: ‘ninguém tem que fazer a cabeça de ninguém’ e ‘ninguém domina/explora ninguém’. Com uma boa solidez familiar, com uma boa educação dentro desse núcleo básico (família), conviveremos harmoniosamente com todos ‘Maronis’ que aparecerem...

Observador disse...

Agora só espero que o Maroni não cometa o grave erro de apagar os comentários, por mais ridículos ou infantis que sejam...

Guilherme disse...

Coitadinhas das garotas que faziam fila para entrar no Bahamas, tiravam R$ 15 mil por mês e eram todas plenamente capazes do ponto de vista jurídico... Será que elas viviam agrilhoadas às camas do Bahamas? Ou viviam em condição análogas às de escravas?

Anônimo disse...

o que agride minha inteligencia por um processo de logica è porque sò o Maroni eo Bahamas apos aqueda do aviao da TAM Fabio LEpique sub prefeito Vila Maria na època na Blat do MP prefeito kassabi ja esta mais que clara a perseguisao

Anônimo disse...

Estevao Melo, tem como vc me citar o artigo da Constituicao que veda o uso de depoimento em IP para condenar alguem no processo judicial? nao achei na minha constituicao. abs

Estevão Melo disse...

Anônimo,
Devido processo legal, contraditório e ampla defesa estão nos princípios fundamentais.
Veja, a propósito, decisão do STF proferida antes das alterações do CPP:
“Prova. Princípio Constitucional do contraditório. Condenação fundada exclusivamente no inquérito. Falta de justa causa para a condenação” (STF – 1ª Turma – HC 67.917 – Rel. Sepúlveda Pertence – DJ 17.04.1990).

Anônimo disse...

As putas querem dar. Os clientes querem pagar.

Qual o mal nisso? sério mesmo...não consigo entender ainda.

Se for generalizar vamos tomar as baladas e bares como exemplo: tem traficante querendo vender droga, e usuário querendo comprar....deviam fechar todas as casas noturnas por facilitar o tráfico.

Todos os festivais de música tbm deveriam ser proibidos por facilitar o sexo pago, a transmicao de DST's e o trafico de drogas.

É rídiculo todo esse show por um motivo tão besta.
Só no Brasil mesmo.

Anônimo disse...

TEM GENTE GROSSA DO MP,QUE FREGUENTAVA O BAHAMAS
QUE TEM RABO PRESO E QUE Ñ QUER QUE ABRA.
EU JÁ AVISEI ISSO AQUI,AS FITAS QUE O MARONI TEM
GRAVADAS É A GRANDE FERIDA DE TUDO ISSO.
Ñ VEJO SOLUÇÃO PARA ESSE PROBLEMA,O MARONI PROVOU
DO PRÓPRIO VENENO.
PODE CONTRATAR O MAIS ''FUDIDO'' ADVOGADO QUE O CASO VAI SER TRUNCADO PELO JURÍDICO.
ALÉM DO QUE ,TÔDAS PROVAS POSSÍVEIS,FORAM COLOCADAS Á DISPOSIÇÃO DA JUSTIÇA E NADA ADIANTOU,ESSA CAUSA JÁ ESTÁ PERDIDA.
SINTO PELO MARONI ,SEI QUE Ñ É FÁCIL UMA SITUAÇÃO DESSA,MAS INFELIZMENTE Ñ HÁ O QUE FAZER.

PESSOA LIGADA AO MP.

Anônimo disse...

MP é Muita Putaria, isso sim.

Anônimo disse...

Por que tem alguns comentarios que insistem em falar de possiveis gravações que o Maroni tenha feito de seus clientes?
Fala ai, Maroni!
Você gravou algum cliente enquanto ele estava na sua boate?
Eu frequentei o Bahamas e sei que ele não fez isso!

Anônimo disse...

O engraçado dessa sentença são os comentários da juiza falando sobre o livro da Bruna Surfistinha... Provavelmente, ela leu o livro! Eu não li e nem vou ler! É uma vergonha num pais cheio de tantos escritores esperando oportunidades para publicar seus livros e que muitas editoras não aceitam pois sabem que não irá vender, o livro mais vendido é de uma (ex) puta! O brasileiro não se interessa por ficção cientifica, romance ou qualquer outro genero! Gosta de saber da vida alheia e de putaria!
Se ela queria colocar a opinião dela sobre o livro, que abrisse um blog e escrevesse lá! Não num processo desses!
Se como argumento valido eu ressaltar as linhas de um livro, eu posso levar uma prostituta até os limites da cidade e epedrejá-la atá a morte, pois assim está descrito no livro "sagrado" chamado Biblia...
Fora isso, a juiza afirmou que sua situação financeira é "bastante abastada" devido a prostituição. Isso é uma falacia! Cadê o onus da prova? Pode-se provar que tudo que o Maroni conseguiu foi da prostituição?
Essas garotas que serviram como testemunha trabalharam no Bahamas? Tem alguma prova de que elas trabalharam lá?
Eu poderia arrumar qualquer prostituta na esquina e pagar um dinheiro para ela servir de testemunha (já que putas não são muito confiáveis...)!
E o que ela disse sobre prostituição ser um trabalho degradante?
Quer dizer que é melhor uma mulher trabalhar num restaurante lavando pratos ganhando R$ 600,00 do que ser prostituta e ganhar mais de R$ 3.000,00 por mes?
Hiprocrisia da sociedade e desse país ridiculo!
Conheci muitas prostitutas que são muito felizes e de bem com a vida, pois conseguem tudo que querem, sem muito sacrificio! Se ela não gosta de ser prostituta, mude de vida!
Pô, Maroni! Cobra mais desses seus advogados ae!
Se voce realmente for preso, pode pedir seu dinheiro de volta!

Oscar Maroni Filho disse...

Maroni responde:


Anônimo do dia 26/10/11 as 17:15hs, e
Anônimo do dia 26/10/11 as 21:49


Sobre o fato de eu gravar autoridades transando no Bahamas Club é mais uma das calunias e difamações inventadas para comprometer as minhas empresas e a minha pessoa e com isso achar que poderiam me intimidar e jogar as autoridades contra mim.
Este fato absurdo e burro surge do depoimento da Vivian, uma moça que eu me relacionei no Bahamas Club e que foi intimidada a dar depoimentos na sala do senhor José Carlos Blatt à noite, e de uma forma intimidadora ao ponto de mandarem uma viatura buscá-la em sua residência.
1-Bem, uma das coisas de bom senso que a Juíza que me condenou fez, foi o fato de declaradamente na sentença descartar esses depoimentos da testemunha Vivian e de outra testemunha, a Cristina ex-funcionária do Depto. Financeiro, e que havia movido ação trabalhista contra aminha pessoa.
O depoimento da Vivian, aonde friso, tinha esses absurdos de gravações, foi descartado pela Juíza por esta não ter idoneidade suficiente. Pois além de estar frustrada com o relacionamento afetivo em que havia sido substituída por outra mulher, também não tinha idoneidade por ser usuária de drogas dito em depoimento oficial pelos próprios parentes. O próprio Desembargador que na época pediu a minha soltura, também afirmou que os depoimentos não tinham credibilidade.
2- Não gravei, não gravo e nunca iria fazer uma atitude tão medíocre de gravar pessoas. Além disso seria burrice em termos empresariais, e como eu digo, o maior patrimônio de Bahamas Club é a privacidade dos freqüentadores.
3- Se eu tivesse gravado autoridades ou clientes com o intuito de depois fazer chantagens pensem bem: Sou proprietário de praticamente um quarteirão em São Paulo, as margens da Avenida dos Bandeirantes, num total de quase 7.000m² onde tenho o Bahamas Club, o Oscar´s Hotel e os meus escritórios, são imóveis de valores considerados, possuo uma fazenda, as revista Penthouse e a Hustler´s e outras empresas, seria muita burrice fazer chantagem com um patrimônio físico deste tamanho, além de um medíocre chantagista seria uma tremenda burrice empresarial. Não tem a mínima lógica fazer chantagem com gravações que estariam comprometendo a minha própria pessoa. E depois de chantagear iria me esconder onde? Jogaria as minhas empresas no lixo?
4- O Bahamas Club já foi absolvido 6 vezes julgados por Juízes e Desembargadores. A forma de como eu trabalho já foi analisada por peritos e testemunhas e que com estas informações Juízes e Desembargadores já me absolveram varias vezes.
5- Quando foi levantado a situação do repórter Cabrini a Vivian foi chamada (isso a uns seis meses atrás) na corregedoria de policia para prestar depoimentos sobre a declaração que ela havia dado ao senhor José Carlos Blatt.

Continua na parte 2

Oscar Maroni Filho disse...

continuação

Pasmem, ela inicialmente diz ao delegado corregedor que foi intimidada a dar o depoimento, e que o depoimento foi dado no MP a noite e que não são verdades as afirmativas ali constadas, que quando deu o depoimento estava sobre o efeito de entorpecentes, disse que no Bahamas não se explora mulheres, que não é permitido droga e que o seu depoimento foi gravado pelo próprio Cabrini no MP e que os clientes que ali freqüentam não ficam apresentando carteiras funcionais, pelo o que ela sabe os freqüentadores são clientes, se mantém na sua privacidade e que quando deu o depoimento no MP estava magoada e revoltada contra Oscar Maroni.
Este depoimento é um documento oficial e faz parte do processo, a Juíza que emitiu a sentença, repito, desconsiderou os depoimentos da Vivian por ela não ter idoneidade devido o seu vinculo comigo e o seu depoimento ser caótico, confuso.
6- Esclareço aqui para que não reste nenhuma dúvida: A Vivian de uma forma distorcida afirmou que eu teria gravado autoridades e que ela tinha as copias dessas gravações.
Senhores isto é mentira, não gravei e não gravaria, além de não ser ético, é uma burrice empresarial.
Finalizando, essas gravações e essas fitas não existem. A Vivian não poderia entregar um material que não existe e (que conseqüentemente não entregou) que é fruto da sua imaginação (na época ela queria se vingar de mim), ou de interpretações tendenciosas do seu Blatt, que queria me intimidar, me comprometer com as autoridades e distorcer os fatos.
Neste processo existem absurdos e mentiras caluniosas e que agora estão vindo a tona como toda a verdade sobre a minha idoneidade e das minhas empresas.
Por favor, acreditem, não sou explorador de mulheres, não vivo da exploração de mulheres, não fiz fortuna em cima de exploração sexual de mulheres, não sou este mau caráter que tentaram fazer da minha pessoa, sou um homem honesto, empresário e que possui um estabelecimento como outros milhares que existem em São Paulo, no Brasil e no mundo, locais em que existe sexo pago, não nego e encontro de casais, já fui julgado e absolvido reiteradas vezes em primeira e segunda instância.
É uma boate, um balneário, um restaurante e um hotel de altíssimo nível e que preenche as exigências legais junto à Prefeitura. É um complexo liberal de entretenimento de adultos, é um hotel em que as pessoas transam também.
Por favor, repito, acreditem, na dúvida estão ai os textos que já beiram os 90 no blog que eu criei para mostrar o que penso o que sou e a injustiça que estão fazendo comigo.
Desculpem a resposta se alongou, mas para mim esses assuntos são muito importantes e eu não consigo me expressar em poucas palavras.
Senhor José Carlos Blatt, membro do MP onde estão as fitas, as gravações?
Porque não foram anexadas no processo?
Eu mesmo respondo, porque essas fitas, as gravações não existem e nunca existiram.
Foi calunia com o intuito de me difamar.
Oscar Maroni RG 4688247
Dúvidas podem ligar em meu celular 9192 6969.

Anônimo disse...

Conforme os anos passam, as pessoas que freqüentam este blog acreditam mais ou menos no Maroni? Será que o empresário ganha mais credibilidade ou essa diminui com o avanço do tempo? Tenho a impressão de que os argumentos promotoria estão enfraquecendo-se cada vez mais, enquanto os da defesa ganham corpo, tornam-se mais consistentes e confiáveis. Paralelamente à conquista da confiança, Maroni ganha a simpatia das massas e até dos magistrados nas mais elevadas instâncias. Mas vale o esforço de quem o acusa, afinal não deixa de ser para todos uma aula de retórica e argumentação; e tudo dentro da esfera jurídica e com a linguagem própria e características dos grandes mestres do Direito; o ‘juridiquês’ é impecável. Os agentes do MP num tribunal devem ser um show!...
Paulo Ramos

Paulo Ramos, um advogado dos diabos... disse...

Conforme os anos passam, as pessoas que freqüentam este blog acreditam mais ou menos no Maroni? Será que o empresário ganha mais credibilidade ou essa diminui com o avanço do tempo? Tenho a impressão de que os argumentos promotoria estão enfraquecendo-se cada vez mais, enquanto os da defesa ganham corpo, tornam-se mais consistentes e confiáveis. Paralelamente à conquista da confiança, Maroni ganha a simpatia das massas e até dos magistrados nas mais elevadas instâncias. Mas vale o esforço de quem o acusa, afinal não deixa de ser para todos uma aula de retórica e argumentação; e tudo dentro da esfera jurídica e com a linguagem própria e características dos grandes mestres do Direito; o ‘juridiquês’ é impecável. Os agentes do MP num tribunal devem ser um show!...

Anônimo disse...

Duas questões a propósito da Moral e de Oscar Maroni (I)

1. Se um homem for feliz no vício (e não na virtude), de repente, o vício seria legitimamente sua moral;

2. Se o homem é uma máquina sem alma, ele não tem liberdade de escolha, e, se ele não é livre, a própria ideia de moral perde seu
sentido.

Penso que uma questão, não de menor importância, no caso de OM e de seu prostíbulo, tem sido completamente deixada de lado, quando, a meu ver, deveria ser discutida por psicólogos, advogados, gestores públicos e por todos os cidadãos interessados em refletir sobre liberdade, o modo pelo qual convivemos com as diferenças, e, sobretudo, a visão que temos de moral e moralidade.
Tem-se evocado muito a figura do "bode expiatório" para qualificar a condição de Maroni perante seus supostos algozes encalacrados no poder público. Nessa posição, estariam governantes, burocratas, um promotor, juízes e, talvez, até um suposto agente do MP sob pseudônimo de "Dura lex sed lex".
O "Caso Maroni" tem chamado a atenção, também, de um punhado de advogados, estudantes de direito, e muito provavelmente de uma porção de prostitutas direta ou indiretamente implicadas na questão.
Contudo, a par do interesse jurídico que o caso vem despertando, ninguém até agora analisou o quiproquó pelo lado psicológico e filosófico. Eis, portanto, o objetivo deste comentário: alinhar algumas reflexões que articulem esses dois ângulos da questão.
Começo perguntando por que motivo Maroni tem sido capaz de atrair a simpatia de tão poucos e, inversamente, o desprezo, o menoscabo, a intolerância ou até mesmo o ódio de muitos, a tirar de manifestações dessa natureza neste espaço.
Ora, provavelmente, no caso do segundo grupo, a explicação para tanta reação se deva ao fato de Maroni encarnar, de forma suprema e acabada, alguns dos "defeitos" mais indesejáveis em uma pessoa: ele era pobre, veio de muito baixo, feio, estudou em Escola superior assemelhada a uma "indústria de diplomas", como se dizia nos anos 70/80, foi vendedor de sanduíches, e depois, ainda de acordo com as possibilidades acadêmicas dessas décadas e daquela Escola, formou-se em um terapeuta, algo assemelhado a um psicólogo de "pés descalços", condição que, como se sabe, em contextos diversos, é explorada à exaustão por Maroni. Essa figura, contudo, de forma surpreendente e até espetacular, tornou-se um célebre empresário da noite, dono de uma "casa de meninas" de luxo, conhecida, a casa, por 9 entre 10 empresários ricos, e de vários outros empreendimentos que lhe asseguraram fortuna calculada em dezenas de milhões de reais. Fora isso, Maroni é imoral, agressor de mulher, viciado em sexo, parceiro sexual incansável e obstinado na exibição de sua virilidade, espalhafatoso, falastrão, novo rico, burguês truculento, grosso, escrevinhador torto de linhas desengonçadas, metido a dar lições de vida, momento em que raramente evita a pieguice e a puerilidade e, acima de tudo, aos olhos do senso comum... teve a sina de “ter dado certo na vida”.

Anônimo disse...

Duas questões a propósito da Moral e de Oscar Maroni (II)

Esse cadinho de defeitos reais ou imaginados, concretos ou inventados pelos críticos, acaba dificultando o debate sobre a questão de fundo, a moral. No alto deste texto, há uma frase, retirada de crônica do grande psicólogo Contardo Caligaris, a respeito da peça “O libertino”, que alude ao vício, à felicidade e à moral; e é justamente essa conexão que Maroni produz como poucos. Maroni é um libertino, um devasso... mas é feliz, perversamente feliz, e promove também como poucos esse tipo de felicidade terrena, proporcionada pela companhia de belas garotas a um preço que, convenhamos, os seus clientes desejam pagar para provar, inclusive, que o gesto falocrático deles se mede também, e quiçá acima de tudo, pela grana que possuem no bolso. Daí os preços extravagantes das mercadorias: putas, pussys, pratos, acepipes, ponches, canapés. Trata-se aqui de relembrar as fantasias típicas de um harém urbano, um sonho arabesco incrustrado na avenida dos Bandeirantes para o desfrute dos aquinhoados, dos "pica-grossas", nessa expressão tão deselegante quanto precisa para retratar os convivas das mil e uma noites oscarmaronianas. Oscar Maroni é um dejeto criado pela exploração da mulher, um maldito proxeneta, nefando e nefasto, pois ativa nossa memória milenar em torno do poder masculino sobre a mulher, ainda mais hoje, quando o "politicamente correto" impera em toda parte. No entanto, Oscar Maroni é um rei, um garanhão, do mais puro sangue, enovelado nos mais ardorosos delírios nababescos, em meio a iguarias e vinhos importados, meia luz e segredos, risos e gemidos, corpos nus e grana, muita grana. Oscar Maroni é um filho da puta, e ele mesmo uma puta velha, mas predestinado a ser feliz, como deseja ser visto. E o pior, até há pouco, ele era feliz, feliz no vício, o qual legitimamente cultua, segundo uma moral que parece tão natural ou “construída”, de acordo com valores próprios, como outras. Esse vício, a prostituição, que ele defende com unhas e dentes, e o responsável pela manutenção de seu império, até este desmoronar pela metade e a outra metade ameaçar ser engolida por trâmites burocráticos da mais cavilosa natureza, esse vício tem sido a vida de Maroni. E quem se apresenta para, racional, filosófica, psicológica e dialeticamente criticar o direito dele à virtude do vício?
(segue)

Anônimo disse...

Duas questões a propósito da Moral e de Oscar Maroni (III)

Ora, é justamente essa alma devassa, a qual se exibe na vitrine (e eis que de imediato o vocábulo “prostituição”evoca em sua etimologia algo que é posto à venda, para ser mercadejado) que corajosamente (mas para isso conspurca a moral dominante) não se reifica, não se dobra à condição de máquina, como está posto no tópico 2, acima, também este extraído de Caligaris. Muito pelo contrário: Maroni quer perverter a ideia de que a prostituição é sexo maquinal, mecânico e degradado. Maroni quer pênis eretos e vaginas molhadinhas, com todo o respeito. Respeito pela liberdade de escolha de um pau se erigir à altura de seu desejo e de uma pussy oferecer-se como ilha de conforto e aconchego, de desfrute e de “arranjos locais”, numa desconstrução carnavalesca (aqui, de fato, a carne vale) da linguagem do gestor público.
Oscar Maroni seria, literalmente, aos olhos da lei, um “corpo estranho” entre a relação da prostituta com seu cliente, mas absolutamente indispensável na visão das duas partes: portanto, esse corpo é o desejado das gentes, tão facilmente percebido em sua função, quanto em sua fisicalidade, afeiçoada a um pênis gigante, esbranquiçado e ereto. Sem Maroni no meio, a transa não rola, pois é o empresário, com toda a tolerância de seu negócio (e que negócio!), o responsável indireto pelas floradas na serra, pelas estrepolias tarde e noite adentro.
Sim, Maroni é livre, talvez uma andorinha desejosa de, sozinha e ingenuamente, fazer verão, mas também um sabiá atarantado, atrevido, acafajestado, e, todavia, sublime em fazer da liberdade, moral, e da boca no trombone, em favor de seus direitos, aquela que ele convida todos colocar onde desejam. Esse anjo sujo, perverso e gostosamente circense, “capiroto urbano” e “pactário de pé fendido”, como certa sensibilidade pastoral o denomina, esse cidadão em luta pelo direito de sobreviver, é indispensável para confronto com nossa caretice ancestral, que ainda hoje nos leva a repetir, como uma cantilena tola e senil, que o encontro de um homem e de uma mulher sobre um telhado de zinco quente não pode ser assistido por ninguém.

Bernardo Fontes

Tekpix Câmera Man disse...

...E será que Maroni os assistiu? Em ambos os sentidos?...
KKKKKKKKKKKKK
Bom dia a todos.

Anônimo disse...

Parabéns Bernardo Fontes pelo excelente texto. Nunca tinha pensado o "Caso Maroni", como você chama, pelo ângulo que você apresenta.

Tânia

Anônimo disse...

Tudo bem sacado no texto sobre Maroni, o anjo sujo. Olha aí o Contardo Calligaris citado pelo internauta: http://revistatrip.uol.com.br/revista/204/reportagens/contardo-calligaris.html

Anônimo disse...

‘An(dra)jo sujo’, da sarjeta, e que nesta lava as vestes, bem à beira da Bandeirantes...
Ma(u)roni... Que você fez de tão mau, menino???

Anônimo disse...

Este vídeo parece bem interessante:
http://www.youtube.com/watch?v=86-SZHHqKMQ

Anônimo disse...

"Sim, Maroni é livre, talvez uma andorinha desejosa de, sozinha e ingenuamente, fazer verão, mas também um sabiá atarantado, atrevido, acafajestado, e, todavia, sublime em fazer da liberdade, moral, e da boca no trombone, em favor de seus direitos, aquela que ele convida todos colocar onde desejam. Esse anjo sujo, perverso e gostosamente circense, “capiroto urbano” e “pactário de pé fendido”, como certa sensibilidade pastoral o denomina, esse cidadão em luta pelo direito de sobreviver, é indispensável para confronto com nossa caretice ancestral, que ainda hoje nos leva a repetir, como uma cantilena tola e senil, que o encontro de um homem e de uma mulher sobre um telhado de zinco quente não pode ser assistido por ninguém".

Será que o lado andorinha do Maroni foi obscurecido pelo lado sabiá acafajestado e cinegrafista?

Tekpix Câmera Man disse...

Se precisar de um profissional na área, não me inclua fora dessa, Mauroni.

Anônimo disse...

Será que membros do MP ou do Judiciário têm um blog tão democrático quanto este? Mais livre do que o Blog do Maroni, só mesmo os meus, que NUNCA tiveram comentários censurados ou deletados... Blogs são bons exercícios de democracia.

Anônimo disse...

FALAM...........FALAM...........FALAM..........
ESCREVEM.........ESCREVEM............ESCREVEM...
DISCUTEM..........DISCUTEM............DISCUTEM..
BLOGUEIAM...........BLOGUEIAM..........BLOGUEIAM
E TUDO CONTINUA NA MESMA , Ñ ADIANTA ESSE CASO
ESTÁ FADADO Á MORRER NA PRAIA .
TEM COISA QUE SE ENCANTA COM O PASSAR DO TEMPO,E
FICA ESTAGNADO PARA SEMPRE.
MARONI VC ESTÁ BATENDO EM FERRO FRIO ,ESSE PROCESSO O MP Ñ DEIXA FLUIR ,É PURA PERDA DE TEMPO.

PESSOA LIGADA AO MP [INFELIZMENTE Ñ POSSO ME IDENTIFICAR]

Anônimo disse...

CAIXA ALTA, VOCÊ É UM INTEGRANDE DO MINISTÉRIO PÚBLICO?! QUE 'CHIQUE'.

Anônimo disse...

Caixa Alta, mas com inteligência de CACHALOTE

P. disse...

Marone, sempre fui um admirador seu. E gostaria muito que você comesse a minha mulher. Topa? Falo sério. Ela´e jovem e bonita.

maroni o liberal disse...

ok poderiamos nos conhecer inicialmente e depois acontecer

Anônimo disse...

Hoje é dia do finado Bahamas.

Anônimo disse...

Maroni, quando 'acontecer', o TekPix Câmera Man vai estar presente para assistir (e filmar) a tudo?

Anônimo disse...

Gente o ''CAIXA ALTA ''que tanto foi xingado
aqui é integrante do MP,isso prova como esse mundo
é pequeno.
E pior é que continuam chamando-o de "cachalote".
Cuidado em cutucar a onça com vara curta,até o
próprio Maroni certa vez já o chincalhou.
Águas passadas são passadas,o que eu gostaria de
pedir á ele é que se verdadeiramente ele fôr ligado ao MP ,que intercida pelo nosso amigo
Maroni no caso do Bahamas .

Helena Fonseca Abrantes.

Anônimo disse...

Verdade, Srta. Helena. Eu vou me desculpar com o Charlote, digo, Cachalote, ôps! quero dizer, Caixa Alta, por todos os xingamentos e acintes feitos contra ele. Afinal é um respeitável INTEGRANDE, perdão mais uma vez, o que eu disse foi INTERGLANDE... Não! Perdão de novo, eu quero dizer, INTEGRANTE (agora sim) do MP. Veja só, Srta. Helena, um cara tão poderoso e influente e nunca, nunca mesmo, chegou pra gente e perguntou de forma intimidatória: ‘Você sabe com quem está falando?!’. Que lição para nós todos...
CAIXA ALTA, desculpa aí, cara.
Anísio Beira Capacho

P. disse...

Que ótimo. E como faço pra falar contigo?

Maroni (Ricardão) Liberal disse...

Manda um emeio pra mim.
maronaopicagrossa@hotdog.com

Anônimo disse...

gentem! esses últimos comentários parece q tá todo mundo pra lá de bagda depois da enézima pinga! o festão do cai alho

Anônimo disse...

É verdade que o Maroni mudou de atividade? Agora trabalha com festas de debutantes? Passou de evento de putas para puta eventos?

Anônimo disse...

dePutantes.

Anônimo disse...

Sr. Anísio Beira Capacho , a sua desculpa ao meu
ver pareceu-me um deboche,entretanto espero que esse sr. que faz parte do MP a receba de forma
amiga e cordial.Caso contrário colocará a situação
do nosso amigo Maroni em uma tremenda ''saia justa''.
Vamos aguardar um novo parecer da parte desse nobre colega de blog.

Helena Fonseca Abrantes.

Anônimo disse...

eu acho que vcs estão fazendo confusão
o caixa alta do blog não é o mesmo caixa alta do
MP saõ pessoas diferentes

Élson D. Bosch disse...

Concordo com a Srta. Helena F. Abrantes. Mas vou ajudar na reconciliação e pedidos de desculpas. Sr. CAIXA ALTA, acinte, quero dizer, aceite, aceite o pedido de desculpa do Sr. Anísio Beira Capacho.

Anônimo disse...

tem tanto adivogado aki que algum pode me tira uma duvida
achava que trafico de drogas fosse artigo 12
mas ñ eh ... procurei no codigo penal e ñ achei
tenho ate a url de lah

http://edutec.net/Leis/Gerais/cpb.htm

pode ve que ñ fala nada disso lah
quem falo q era 12 tah enganado entaum ??
qual eh o numero do codigo entaum ??

Anônimo disse...

Até recentemente, a Justiça brasileira dispensava tratamento processual igual para condutas diferentes quando o crime era o tráfico de entorpecentes. Tanto o condenado por vender um grama de droga quanto aquele que guardava cem quilos do tóxico não recebiam o benefício da pena alternativa, capaz de evitar o encarceramento.

Mas, recentemente, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) alargou a interpretação do princípio da individualização das penas. A conclusão foi que vedar a substituição das penas indiscriminadamente para crimes de tráfico agride este preceito inscrito na Constituição Federal.

A partir disso, a Sexta Turma do Tribunal converteu em duas penas restritivas de direito a pena de prisão de um condenado por tráfico de drogas (artigo 33 da Lei n. 11.343/2006, nova Lei Antidrogas). “Para duas condutas diferentes, a melhor recomendação é que haja soluções diferentes”, justificou o ministro Nilson Naves, relator do habeas corpus.

Com a decisão, o homem condenado a um ano e oito meses prestará serviços à comunidade e terá limitação de fim de semana, ficando a cargo do juiz de execução estabelecer o que for necessário para implementação das penas.
A posição é inovadora no STJ e ganhou força depois do julgamento do HC 102.678 no Supremo Tribunal Federal (STF). O julgamento na Sexta Turma do STJ ocorreu uma semana depois que a Segunda Turma do STF analisou o caso, relatado pelo ministro Eros Grau. O Supremo restabeleceu ao condenado por tráfico de drogas a pena restritiva de direitos, que substituiu uma condenação imposta pela Justiça mineira.

A vedação legal para a substituição de pena é, em tese, o artigo 44 da nova Lei Antidrogas, que torna os crimes de tráfico de drogas inafiançáveis e insuscetíveis de sursis, graça, indulto, anistia e liberdade provisória, vedando, inclusive, a conversão de suas penas em restritivas de direitos.

No STF, decisões individuais e da Segunda Turma têm afastado a aplicação desse dispositivo legal tanto para permitir a conversão da pena quanto para conceder liberdade provisória.

Mas é o julgamento do HC 97.256 pelo Pleno do STF que vai decidir sobre a inconstitucionalidade dos dispositivos da nova Lei Antidrogas que proíbem a conversão da pena privativa de liberdade em restritiva de direitos para condenados por tráfico de drogas. O habeas corpus, originalmente da Primeira Turma, é relatado pelo ministro Ayres Britto. O julgamento foi interrompido por pedido de vista no dia 18 de março.

Em novembro de 2009, em questão suscitada pela Sexta Turma, a Corte Especial do STJ rejeitou a arguição de inconstitucionalidade dos mesmos dispositivos legais, agora analisados pelo STF.

Dura lex sed lex

Anônimo disse...

Oscar Maroni Filho ou o Mais do Mesmo:

http://extra.globo.com/famosos/angela-bismarchi-entrevista-empresario-oscar-maroni-sua-paris-hilton-3082994.html

Anônimo disse...

Esses aí em cima encontramos no Código Penal (e acho que atual, ou mais recente).

Anônimo disse...

Esses aí em cima encontramos no Código Penal (e acho que atual, ou mais recente).

Anônimo disse...

E por que não uma passeata dos donos de puteiros pela reabertura do Bahamas? Hoje foi o do OM que fecharam; amanhã serão os dos outros empresários.
Pela fundação da Frente Única Pró-Putaria e Liberdade de Fornicação.

Anônimo disse...

onde ta o comentario que estava aqui e que perguntava alguma coisa pro dura lez eim seo marone !?

Anônimo disse...

Dr. Mauro Otávio Nacif disse:
Sou advogado criminalista, formado pela Faculdade Mackenzie em 1969, e defendi o Oscar Maroni Filho em outro processo, no qual ele foi absolvido pela 4ª Câmara Criminal, relator Desembargador Salles Abreu.
Eu fiz a sustentação oral há dois anos mais ou menos, e Maroni foi absolvido, depois de ter sido condenado pela 17ª Vara Criminal.
Desta absolvição houve recurso Especial Ministerial, mas sem fundamento, por causa da súmula nº 7 do STJ.
No caso atual, da 5ª vara Criminal, onde ele foi condenado ha 11 anos e 8 meses de reclusão, o advogado de Maroni é outro, o Ilustre Advogado José Thales Solon de Melo, o qual apelou e está trabalhando de forma brilhante no caso.
Quero aproveitar esta oportunidade para me solidarizar com Maroni, pois entendo que esta condenação da 5ª Vara Criminal está equivocada, e ela no meu entender será reformada pelo Tribunal de Justiça, absolvendo-se Maroni.
Maroni é uma pessoa maravilhosa, com idéias próprias, honesto, correto, leal e que merece toda a admiração, sendo ele pessoa de nível intelectual alto, e que tem idéias próprias que devem ser respeitadas numa comunidade que vive sob o Estado de Direito e Democrático.
Assinado: Mauro Otávio Nacif

Anônimo disse...

Importante a participação do experiente advogado, formando em 69, para defender o Maroni... O defensor já mostrou a posição dele; agora os acusadores mostrem as suas.

Pedro Lessi disse...

MARONI, O CRISTO DE KASSAB


Afinal, qual é a finalidade de tudo isso? É exorcizar Oscar Maroni? As vestes da toga esconde bandidos, segundo a Ministra Eliana Calmon. Agora, esquecendo bibliografias e documentários, vou teorizar munido apenas da lógica e de algum senso comum histórico/económico.
Comecemos pelo princípio, pelo inicio antes da história. Para que alguém tenha uma profissão, ou seja profissional de alguma coisa, esse alguém tem que ser retribuído pela sua actividade, pelo que faz ou produz. Então, imaginando-nos lá para os confins da pré-historia – período que defino aqui como a aurora da Humanidade – com que faríamos os nossos pagamentos ou retribuições? Seguramente que não era com dinheiro, pois não tinha sido inventado. Ou seja, tinha de haver algo para fazer a troca. Então, o que quer que fosse que se usasse para pagar à suposta “mais antiga profissão do mundo” tinha de ser obtido da natureza. Então, não é possível que existissem prostitutas primeiro que, por exemplo, caçadores/recolectores. Sim, senão seria um estupro ou um atentado violento ao pudor. Só então depois, tendo caça ou outro qualquer bem ou objecto de valor, poderia ser possível pagar serviços e favores sexuais. Sob a ótica do Código de defesa do Consumidor( lei 8078/90), abstraindo esse verdadeiro túnel do tempo, a prostituta, principalmente aquela extremamente gostosa, deliciosa, uma brastemp daquela época, seria como que um produto( a mesma) e o serviço( de preferência completo, com bifes, lambendo a frigideira e comendo uma rabada de sobremesa! Trivial!
Penso que se prova assim que a prostituição não pode ser a mais antiga profissão do mundo, quanto muito é a segunda, terceira, quarta ou qualquer outro número subsequente – mas que é antiga isso é indiscutível.
Não acredito que alguma vez esta profissão se extinga, pois no fundo o ser humano é uma animal de hábitos e tradições. Disso se abstrai que o ser homem, no Brasil, é um ser fissurado na Bunda.

pedro lessi disse...

Sócrates (em grego antigo: Σωκράτης, transl. Sōkrátēs; 469–399 a.C.[1]), foi um filósofo ateniense, um dos mais importantes ícones da tradição filosófica ocidental, e um dos fundadores da atual Filosofia Ocidental. As fontes mais importantes de informações sobre Sócrates são Platão, Xenofonte e Aristóteles (Alguns historiadores afirmam só se poder falar de Sócrates como um personagem de Platão, por ele nunca ter deixado nada escrito de sua própria autoria.). Os diálogos de Platão retratam Sócrates como mestre que se recusa a ter discípulos, e um homem piedoso que foi executado por impiedade. MARONI é um homem piedoso, descobri agora que adota 20 crianças, no mínimo, com doenças incuráveis ou de difícil cura, em um Hospital de São Paulo, e NUNCA me falou sobre isso, embora vendo o trabalho solidário que faço diariamente. Sócrates não valorizava os prazeres dos sentidos, todavia se escalava o belo entre as maiores virtudes, junto ao bom e ao justo. Dedicava-se ao parto das idéias (Maiêutica) dos cidadãos de Atenas, mas era indiferente em relação a seus próprios filhos. O julgamento e a execução de Sócrates são eventos centrais da obra de Platão (Apologia e Críton). Sócrates admitiu que poderia ter evitado sua condenação (beber o veneno chamado cicuta) se tivesse desistido da vida justa. MARONI está fazendo o mesmo, não desiste da vida justa, que para ele é falar o que pensa, o que sua consciência permite. Mesmo depois de sua condenação, ele poderia ter evitado sua morte se tivesse escapado com a ajuda de amigos. A razão para sua cooperação com a justiça da pólis e com seus próprios valores mostra uma valiosa faceta de sua filosofia, em especial aquela que é descrita nos diálogos com Críton. MARONI poderia fazer o mesmo, calar-se, deixar de criticar o promotor que gosta de holofotes, o Prefeito aproveitador que só coisas de tempos em tempos para permanecer na mída, pois com o seu PSD, que se candidatar a governador. Que a prostituição é popularmente conhecida como a profissão "mais antiga do mundo", todos sabem. E, desde que o mundo é dito civilizado, sempre houve prostitutas pobres e prostitutas de elite. O lado desconhecido dessa história é que a imagem a respeito delas nem sempre foi a que temos atualmente. As meretrizes já foram admiradas pela inteligência e cultura, e também já foram associadas a deusas - manter relações sexuais com elas era necessário para conseguir poder e respeito. As "mulheres da vida" sempre tiveram um lugar na História, mas, ao longo dos anos, seu status passou de respeitável à condenável.
Maria Regina Cândido, professora de graduação e de pós-graduação em História, e coordenadora do Núcleo de Estudos da Antiguidade (NEA), da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), explica que a conotação de ser ou não bem-vista pela sociedade é um olhar de nosso tempo sobre as prostitutas. "Na antiguidade, elas tinham seu lugar social bem definido. Era uma sociedade que determinava a posição de cada um, que precisava cumprir bem o seu papel em seu espaço e não migrar de função", diz Maria Regina.

pedro lessi disse...

Lá atrás, no período da pré-história, a mulher era associada à Grande Deusa, criadora da força da vida, e estava no centro das atividades sociais, explica Nickie Roberts, no livro As Prostitutas na História. Com tal poder, ela controlava sua sexualidade. Nessas sociedades pré-históricas, cultura, religião e sexualidade estavam interligadas, tendo como fonte a Grande Deusa, conhecida inicialmente como Inanna e mais tarde como Ishtar. Os homens, ignorantes de seu papel na procriação, não eram obsessivos pela paternidade. Foi essa preocupação com a prole que, mais tarde, levou ao surgimento das sociedades patriarcais, com a submissão da mulher.
Por volta de 3.000 a.C., tribos nômades passaram a criar gado e tornaram-se conscientes do papel masculino na reprodução. As sociedades matriarcais da deusa começaram a ser subjugadas. As primeiras civilizações da era histórica desenvolveram-se na Mesopotâmia e no Egito, e nasceram desse levante. Novas formas de casamento foram introduzidas, especificamente destinadas a controlar a sexualidade das mulheres, afirma a escritora. "Foi nesse momento da história humana, em torno do segundo milênio a.C., que a instituição da prostituição sagrada tornouse visível e foi registrada pela primeira vez na escrita", explica Nickie. Para mim, portanto, a decisão da justiça, de dar condenação de 11 anos e 8 meses de reclusão não passa de um desprestígio ao poder judiciário. Se os senhores leitores forem ao pai "google", verificarão que a grande prostituição do mundo está na polícia, civil e militar, nos prostitutos promotores, que se vendem apenas por holofotes, e perseguem pessoas sem hesitar e os prostitutos João Carlos Rocha Mattos, Roberto Haddads, Theotônios Costas, Medinas, genros de Carlos Ayres Brito, capangas de Gilmar Mendes, mas não, o entrogênito tem que estar em OSCAR MARONI.

Anônimo disse...

mais sucinto meu caro.... mais sucinto... texto grande pra cai alho!

Anônimo disse...

Pq maroni não vende o bahamas, abre outro em nome de um laranja e pronto, tudo resolvido?

Marco Lima disse...

Posso ser o laranja?

Anônimo disse...

Olha, Maroni, na minha opinião, a verdade é que você vestiu a carapuça de um Larry Flint brasileiro e esqueceu que não vivemos em um país liberal, mas numa democracia que engatinha após décadas de ditadura e séculos de instrumentalização privada do Estado por meio de famílias de caudilhos, coronéis e outras figuras do gênero, enraizadas nas instituições públicas.

Enfim, seu erro foi querer ir à desforra em rede nacional, foram as provocações acintosas, foi a autopromoção... tivesse sido discreto, aposto contigo que nada disso teria acontecido.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Senhor Pedro Lessi,

Afinal, o que o que quis dizer com seu texto? Ele é bem escrito e bem informado, mas... obscuro como um saci pererê em noite sem lua.

Anônimo disse...

Vai ver o Sr. Pedro Lessi estava com tesão de escrever ,e resolveu fazer esse texto comprido,
porém sem lógica.


Leitor do blog

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Alguém poderia me dizer o que diziam os comentários removidos?

Anônimo disse...

Maroni, uma sugestão minha: tente organizar melhor seu blog. Você está utilizando de maneira analógica uma ferramenta da era digital...

É preferível um maior número de posts curtos e objetivos, em intervalos regulares de tempo, classificados por assuntos, do que estes posts quilométricos, que você só atualiza depois de vários meses.

Enfim, como dito, é uma sugestão para melhorar a sua comunicação.

Anônimo disse...

Minha opinião:

A prostituição é um contrato de prestação de serviços. Se não existe nenhum defeito (vícios de consentimentos, mormente) e se os seus requisitos são respeitados (agentes capazes, forma não defesa em lei e objeto lícito, possível e determinado ou determinável), trata-se de um negócio jurídico legítimo. Tanto que tal "ofício" é reconhecido pelo Ministério do Trabalho e Emprego (vide CBO).

O rufianismo, sim, é crime. Mas para que assim se enquadre, o proxeneta tem que participar diretamente do negócio, estabelecendo, por exemplo, porcentagens sobre o programa transacionado.

Anônimo disse...

Estava escrito o seguinte:(17 nov de 10:42)

resumindo: MARONI está fantasiado de bunda em festa de pica!

Anônimo disse...

o comentário acima foi em relação a "entende" que se formou contra OM (MP+JUÍZA+EX-NAMORADA+PREFEITO+INVEJOSOS), a briga é covarde e desproporcional. Mas, OM quando deixa de pensar que é um coitado, não tem quem possa com ele. O cara é fodão!

Anônimo disse...

Concordo com o colega de cima,cada um faz o que quer de sua vida.

Anônimo disse...

Obrigado, Sr. Fiscal do Blog. Eu ‘mosquei’ e não havia salvado esses últimos comentários. Agora sim. Valeu.
E quanto à extensão dos comentários, espero que aqueles internautas esporádicos ou costumeiros que gostam de escrever bastante (textos looooongos) não deixem de fazê-lo, pois meu passatempo preferido é justamente ler os comentários mais extensos; então, quero-os ‘prolixos’, e não ‘pro lixo’ (Ok, OM?!... Sem deletar. De quebra a gente lê também as suas postagens e torce por você em sua luta por justiça.).
Desocupado do Blog

Anônimo disse...

Pessoal do blog ,tenho uma curiosidade comigo ,que
gostaria de saber : Porque um homem qdo envelhece
passa á ter prazer por tráz ?
Ñ é uma piada nem deboche,é dado estatístico.
Certa vez converssando com um amigo meu que é médico ,ele me confirmou isso.

Antônio Marquês Resende.

Anônimo disse...

OLHA AQUI CIDADÃO DESINFORMADO ANTONIO MARQUES
RESENDE , EU TENHO 66 ANOS ,E JAMAIS DEI O MEU CÚ.
CONTINUO TENDO MUIIIIIIIIIIIITO PRAZER PELO PAU,
SEM TOMAR AZULZINHA.
ESSA INFORMAÇÃO DESSE MÉDICO NÃO TEM NENHUM DADO CIENTÍFICO,ISSO É DESCULPA DESSES FDP DE GAYS QUE ANDAM PO AÍ.


FRANCICO GUIMARÃES FILHO.

Anônimo disse...

Vichhhhh... Tô longe dessa! KKKKKKKK
Quero continuar usando só meu pinto pra ter prazer e o cu só para expelir as fezes hummmm... Que nojo! KKKK
Mas esse negócio de 'o que vale é gozar, não importa por onde' não é comigo não...
E então como é que podem chamar a fase do idoso de ‘melhor idade’???? Melhor idade o caralho! Ou melhor, melhor idade é quando se está usando o caralho! KKKK
Ancião Macho do Blog

Anônimo disse...

Ai, Maroni! Hipocrisia os politicos, juizes e e outros do governo te condenarem por ser um "empresário da prostituição"...
Dá só uma olhada nesse video: http://www.youtube.com/watch?v=lWMw1nkkmAg&lc=mTU5CCnHt1mmdVOpsegE0w3Wcjr1JqFAu0dBobcMOgk&feature=inbox
O cara explica muito bem como funciona toda a corrupção na area de importados e porque logo, logo, estaremos aprendendo mandarim!
Proxeneta é esse pais filho da puta!
Em 2012 votem nas putas, porque os filhos delas não fizeram bosta nenhuma!

Anônimo disse...

Na árvore genealógica da putaria, o Maroni é o macho doador de sêmen.
Em falar nisso, será que ele continua no pastejo rotacionado?

Anônimo disse...

E se o Maroni fundasse uma Academia Brasileira de Tetas? Ninguém poderia, então, dizer que o Bahamas é um puteiro. O próprio Maroni seria o primeiro imortal e presidente da instituição. A Academia Brasileira de Tetas publicaria obras como o Manual do Português Oral; Gramática da Lânguida Portuguesa ou ainda o Manual Maroniano Aliterativo e Verborrágico.

Anônimo disse...

Ou ainda o Vademecum de Verbos Defectivos Declinados.

Anônimo disse...

"Como era gostosa minha mesóclise", de Oscarpe Diem Maroni - o bom selvagem.

Anônimo disse...

Gramática?! Que legal! Bom para todo mundo. A ofereceríamos ao... Ôps! ‘A ofereceríamos’?!!!! Vai uma mesóclise aí? (‘ofereceríamos + a’ = ???). Hummmmm... ‘Oferecê-la-íamos’??? ‘Oferecer-la-íamos’??? Com ‘la’ mesmo ou com ‘na’??? Xiiiiiii, acho que eu, burro que sou, vou comer a Gramática toda... Vou pastar pra entender. Pasqualle, socorra-me, por favor.

Anônimo disse...

Gramática? Oferecer-la-íamos se nos aprouvesse presenteá-la; como não a temos em alta estima, a dama de nossos cuidados, abalancemo-nos, os dois, em devolver, o compêndio, às vestutas estantes da livraria.
Enfim, contentar-nos-emos com o enlace mesoclídico de nossas especulações, já que outro não terá sido o enleio dessa paixão.

Rude Babosa

Anônimo disse...

Mas, afinal, será que os dois aí de cima haveriam de presentear a dama com o erro de gramática? Justamente porque não a estimam? Ou a dama é a própria gramática? "Oferecê-la-íamos". Será que é por isso que o Babosa é Rude? Mistério...

Anônimo disse...

TUDO O QUE TODOS POSTAM SOBRE VC É RECALQUE TOTAL, AFINAL QUAL SERIA O HOMEM CAPAZ DE MONTAR UM IMPÉRIO DENTRO DA PROFISSÃO MAIS ANTIGA DO MUNDO E SIMPLISMENTE VIRAR PARA O MUNDO INTEIRO E FALAR FODA-SE, SEI QUE HJ TALVEZ ROLE ALGUNS ARREPENDIMENTOS, POIS VC ESTÁ PAGANDO UM PREÇO ALTO POR ISSO, PORÉM NÃO ACHO JUSTO O MP FECHAR APENAS A SUA CASA E OUTRAS TANTAS ESTAREM POR AI FUNCIONANDO NORMALMENTE, PORQUE NÃO FECHAM A ILHA DA FANTASIA,FHOTO,LIBERAL CLUBE, E ETC... PUTA SACANAGEM E FALTA DE VERGONHA NA CARA, ESSE PAIS É MUITO ATRASADO E A NOSSA JUSTIÇA É UMA LASTIMA,

Anônimo disse...

Maroni escrevendo, aí no alto, com a mão esquerda.

Anônimo disse...

É, Maroni, você que é psicólogo, explica melhor: por que todo canalha precisa fazer a cena do puritano, do bastião da moral, dos "bons costumes" e do patriotismo (lembrando de Samuel Johnson e sua célebre frase)?

É um refúgio para a consciência? Uma autoilusão inconscientemente criada? Uma fuga para o ego eivado de culpa reprimida? Freud explica?

Tem gente aí que não pode nem administrar os próprios bens (de repente, bloqueados pela Justiça por suspeitas de esquemas bilionários de corrupção) e está preocupado com problemas de alcova de gente já bem grandinha para saber o que faz (ou não faz) da vida...

Anônimo disse...

Eu só sei é que hoje, em SP, todo esse pessoal da F1, de pilotos a dirigentes de equipe, de mecânicos a assessores de imprensa, estão, em peso, divertindo-se em muitas dessas casas de "burlesco" espalhadas pela cidade!

Anônimo disse...

Oscar Maroni, Vamos ver...aqui no Brasil os corruptos ficam impunes, certo? O que vai acontecer com VOCÊ e os seus 11 anos e 9 meses ???

Faz uma análise...

Anônimo disse...

Você está insinuando que Maroni é corrupto? Penso que não. Ele e sua empresa, no entanto, como favorecedores da prostituição, não tiveram o menor pudor em persuadir garotas em direção a isso, com a promessa de elevados ganhos, ou pelo menos em fortalecer no juízo delas a certeza dessa possibilidade.

Enio disse...

Olá Maroni,
Ontem encontrei o seu filho saindo da academia aqui na rua Quitanduba/Butantã e ele ficou interessado em cruzar nossos Rottweilers... só pra dizer que estou a disposição caso ele queira conhecer o cachorro.

Obrigado.

Anônimo disse...

Oscar Marino um "espertalhão"?^

Para iniciar a carreira da prostituição vc precisa, em um primeiro momento, de algum lugar que te proporcione clientes e segurança.Quando alguém entra na noite, geralmente não tem poder aquisitivo para bancar seu próprio flat e é aí que entram essas casas noturnas.E quem não explora nesse mundo?Essas meninas antes de serem exploradas por casas noturnas, são exploradas pelo próprio governo, assim como eu e vc.É isso que dá votar em partidos moralistas que defendem ainda a família e propriedade..Fechar casas ,como Bahamas, é uma atitude de extrema mediocridade.A luta deveria ser pela regulamentação dos profissionais do sexo.

Gabriela Moraes

Anônimo disse...

a guria ai encima falo tudo

Anônimo disse...

Sou puta,gosto da putaria,é a putaria que me dá
o meu sustento.Estou torcendo pro Bahamas reabrir,
pois com o fechamento dele o meu faturamento ñ é mais o mesmo.

PRESIDENTA DO SINDICATO DA PUTARIA.

Anônimo disse...

PRESIDENTA DAS PUTAS,
EU ACHO MELHOR VC SE VIRAR DE OUTRO JEITO,
PORQUE O BAHAMAS Ñ VAI ABRIR LOGO,
PORTANTO CORRE ATRÁZ DO PREJUÍZO.

CONSELHEIRO DAS PUTAS.

Postar um comentário